Aguarde...

Berluti At Their Feet

 

A Adolfo Turrion presta aqui uma homenagem a uma das mais renomadas fábricas de sapatos masculinos, a francesa Berluti que hoje faz parte do grupo LVMH, Moët Hennessy Louis Vuitton SE, uma holding francesa especializada em artigos de luxo. Foi formado pelas fusões dos grupos Moët et Chandon e Hennessy e, posteriormente, do grupo resultante com a Louis Vuitton.

Exemplo e muitas vezes benchmarking para nós fabricantes de sapatos, o livro “Berluti At Their Feet”, publicado em 2015 para comemorar o 120º aniversário do renomado sapateiro Alessandro Berluti, a grife que leva o seu nome celebra o auge do design de calçados sob medida. 

Este é o primeiro livro sobre a casa Berluti, subsidiária de luxo do segmento de calçados da LVMH, que fabrica sapatos para homens elegantes desde 1895, e que mantém a reputação de maior fabricante de calçados masculinos do mundo.

Desde os primeiros dias, o artesanato requintado de Berluti foi abraçado por uma lista extraordinária de clientes do mundo da arte, música e cinema.

Esta celebração da arte da fabricação de calçados sob medida mostra os sapatos mais icônicos da marca, feitos sob medida para 26 de seus patronos renomados, incluindo Andy Warhol, Frank Sinatra, Robert De Niro, Harvey Keitel, Alain Delon, Yves Saint Laurent, Marcel Proust e Roman Polanski. 

Novas fotografias dos sapatos dessas celebridades acompanham ilustrações caprichosas e citações manuscritas sobre o assunto dos sapatos. Apresentando alguns dos mais belos mocassins, botas e sapatos sociais já feitos.

A Berluti e a Rizzoli apresentam seu resultado final em um livro de sapatos, com a história por trás de cada sapato e citações dos criadores celebrando a aliança entre design e fabricação de calçados, os olhares oferecendo aos vinte e seis de seus clientes mais emblemáticos dos quais sapatos foram feitos para ou pela. 

Conforme você folheia o livro, você notará citações ou anedotas sobre ou a partir de perfis famosos. Ao lado de Warhol, vemos: “Os sapatos me favorecem. Eu acho que gosto de pés. Meu sapato é seu sapato. À la recherche du shoe perdu. ” Também não custa nada mencionar que todas as imagens foram tiradas pelo premiado fotógrafo Erwan Frotin, exclusivamente para o livro.

At Their Feet , uma ode aos sapatos icônicos e aos talentos criativos que os usaram, repleto de contos sobre os sapatos sob medida criados dentro da pitoresca maison de sapatos da marca em Paris, o livro apresenta alguns dos designs exclusivos de Berluti, como a bota Garbo, o sapato Nakata, os icônicos mocassins Dean Martin, a bota Larry Clark e muito mais. 

Este livro pode, possivelmente, sinalizar um momento sem precedentes nos anais de marcas históricas que celebram e memorizam seus legados consideráveis. Berluti: At Their Feet é uma visão rara e refrescante de como esta empresa de 120 anos optou por se apresentar em sua estreia neste gênero.

Glenn O'Brien nos oferece a história de uma forma bastante coloquial que incorpora todos os fatos que precisamos saber sobre a marca, além de injetar na narrativa doses de humor e factóides de celebridade, o que evita que o texto se torne excessivamente pedante ou enfadonho.

Não há dúvida de que as ilustrações emprestam um ar de leviandade ao assunto, embora permaneçam muito fixas em sua história surpreendente e muito alardeada. Em suma, esta parece ser uma jogada muito acertada para Berluti, já que a marca sempre foi a proveniência dos privilegiados, dos ricos e dos conhecedores dos esplendores da indumentária. Realmente, só recentemente, com sua aquisição pela LVMH, a marca está fazendo um impulso global, incluindo o lançamento de seu prêt-à-porter.

O livro editado pela Rizzoli é desenhado por M / M (Paris), a fotografia é de Elwan Floating e a introdução de Glenn O'Brien de "How to be a Man". As ilustrações características são de M / M (Mathias Augustyniak de Paris, que contrasta bem com fotografias nítidas. O conteúdo inclui muitas celebridades com as quais Berluti trabalhou até hoje, e cada página apresenta um par de sapatos artísticos encomendados por artistas.

Por Marco Antonio Jordão