Aguarde...

Adolfo Turrion e o mercado de luxo acessível no Brasil

Experiência única de qualidade, conforto e beleza a preços justos

Por Marco Antonio Jordão e Rosane Aubin para a edição de número 3 da FortunA Revista Digital

Com pouco mais de dois anos de vida e uma clientela crescente, a Adolfo Turrion já é reconhecida como uma das melhores fábricas de sapatos brasileira. Seu posicionamento, de acordo com um de seus executivos, Marco Antonio Jordão, é o chamado mercado de luxo acessível: “Hoje oferecemos ao público uma experiência única de qualidade, conforto e beleza, comparável às melhores marcas italianas, inglesas e francesas, e a um preço justo”.

O principal responsável por essa ascensão é o e-commerce, que responde por 85% das vendas da empresa. O faturamento de lojas online cresceu 47% no primeiro semestre de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019. As vendas totais do mercado digital brasileiro chegaram a R$ 38,8 bilhões entre janeiro e junho de 2020, contra R$ 26,4 bilhões dos mesmos meses de 2019. O número foi impulsionado pelo crescimento dos pedidos, que saltou 39%.

A pandemia, obviamente, ajudou a consolidar esses números. A Adolfo Turrion que já estava estruturada para “surfar” nesse mercado, conseguiu manter suas vendas em um patamar muito bom durante todo o ano de 2020.

Felipe Maia, executivo responsável pela operação do site, logística e atendimento da empresa, explica: “Uma pesquisa divulgada pela Clearsale apontou o Brasil como um dos melhores mercados para o e-commerce, sendo que é a única nação latino-americana que consta do estudo Global Markets Watch: Os 10 países mais quentes de comércio eletrônico em 2020”.

Além do Brasil, aparecem na lista dos 10 países nos quais as empresas devem ficar de olho: Canadá, China, Alemanha, Itália, Japão, Rússia, Coreia do Sul, Reino Unido e Estados Unidos. E, no caso do mercado de moda, a aposta em produtos bem acabados, confortáveis e de qualidade que remetam ao mercado de luxo acessível estão sendo responsáveis por essa alavancagem.

Marcas internacionais como Aussiebum, Uniqlo e aqui no Brasil a Adolfo Turrion estão bem posicionadas nesse segmento, lembra Jordão, executivo responsável pela distribuição (lojas e MKT), Private Label e Exportação da marca nacional.

Felipe Maia, cuja experiência no mercado digital de sapatos já soma 10 anos, explica que lá atrás foi muito difícil fazer o brasileiro comprar sapatos pela internet. A resistência era grande, porém um trabalho de “formiguinha”, focado e de muita paciência, criou as bases para o que viria a ser a Adolfo Turrion.

Hélio Machado, executivo responsável pelo desenvolvimento, fabricação e qualidade, constata que trabalhar no mercado de moda exige uma atenção redobrada aos detalhes e acabamentos. Ele destaca que só sobrevive nesse meio quem possui fábrica própria, total domínio dos processos fabris e de compra das melhores matérias-primas, condizentes ao mercado de atuação “Nossos Private Labels nos ajudaram a melhorar a qualidade e a atenção aos processos, o que fez com que 2020 fosse um ano de aprimoramento estrutural em que quem ganhou foi o nosso cliente final e os clientes de nossos parceiros comerciais”, esclarece.

Um produto de luxo acessível não abre mão da alta qualidade e mantém ainda uma política de preço e distribuição menos seletivas e mais abrangentes.

Atualmente, o mercado de luxo acessível tem tudo a ver com experiência e personalização de compra, ou seja, poder vivenciar algo que não necessariamente esteja relacionado a adquirir bens materiais ou algo personalizado e exclusivo que custe preços altos, mas que proporcione ao consumidor uma lembrança e uma ótima experiência. “E nesse quesito a Adolfo Turrion se mantém com nota 5 no Google”, diz Felipe Maia.

“Em nossa empresa as estratégias de comercialização e comunicação estão em sintonia com a proposta da marca e, principalmente, o negócio está preparado para embasar o posicionamento tomado”, finaliza Jordão.

Clique na imagem abaixo e leia a revista em sua íntegra: